quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Poluição Luminosa interfere em Reações Químicas.

Los Angeles
   Segundo estudos da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) e do Instituto Cooperativo para Pesquisa de Ciências Ambientais da Universidade do Colorado, a iluminação excessiva das cidades contribui com a poluição do ar.

   Além de ofuscar o brilho dos astros prejudicando a observação noturna, o excesso de luz está destruindo um óxido de nitrogênio chamado radical nitrato (NO3) que é naturalmente decomposto pela luz do Sol e responsável pela limpeza da atmosfera durante a noite, combatendo gases formadores do smog*.Os  pesquisadores revelaram que o brilho urbano é até 25 vezes mais forte do que a luz da Lua cheia e que ele está retardando em 7% a limpeza noturna e aumentando em 5% a poluição de ozônio no dia seguinte, não esquecendo que com todas as exuberantes luzes de Natal das principais cidades do mundo a situação deve piorar.

   Sim, existem postes que direcionam a luz para baixo e não para a atmosfera, o que já seria um grande avanço, mas a maioria das pessoas nunca deu a mínima para os aglomerados de estrelas que já não são visíveis a olho nu ou a visibilidade da Via Láctea, quem sabe com a divulgação do estudo algo mude.

Las Vegas
* Smog - É identificado por uma grande massa de ar estagnado em conjunto com vários gases, vapores de ar e fumaça que acabam em nossos pulmões, causando irritações e diminuindo a resistência às infecções respiratórias como a gripe. 

                                                                                                                                    

Um comentário:

Breno disse...

Muito Bom Carine, pena que isso será mudado apenas se causar algum dano gigantesco a economia e as pessoas. Torcemos que eu esteja errado.